25 marzo, 2019

performance Paredão HolosCi(u)dad(e)


HolosCi(u)dad(e) – Organismo-Plataforma-Dispositivo Sonoro Visual

Descrição

A obra HolosCi(u)dad(e) envolveu performance com uma perua automotiva sonorizada, tipo trio ou paredão goiano. Este, produzido para a apresentação em área externa do Museu Nacional da República, D.F, Brasília e apresentado por cerca de duas horas na noite do dia 3 de outubro de 2018 integrou a exposição Em Meio #10. Criou-se um complemento audiovisual fixo durante a exposição na sala do Museu Nacional da República, apresentada em um monitor computacional com interações sonoras em tempo real, processadas em um computador com interface sonora de autofalantes e acesso à imagem em movimento da projeção com palavras-chave apresentada, igualmente, na performance de abertura, projetada na parede de entrada do Museu.

Por Laurita Salles e Lilian Amaral.

Trio goiano refere-se ao tipo de sonorização mais comum no estado de Goiás, Brasil. Nesta região usa-se o padrão de autofalantes em três faixas de som: graves, médios e agudos). Em outras regiões do país essa sonorização pode alcançar quatro faixas.

A performance envolveu, assim, a presença de um dispositivo automotivo como interface de saída sonora. Os sons foram processados em um computador a partir de um banco sonoro com o conjunto de sons produzidos nos diversos territórios, contextos onde localizam-se os grupos de pesquisadores artistas que integram o projeto cocriativo.

Visualmente temos a própria presença da perua automotiva dotada de sistema de leds coloridos acrescidos de estruturas de rebatimento luminoso de placas de acrílico transparentes, as quais potencializam os efeitos luminosos e em movimento das fitas de leds. Assim, há uma complementação entre som e presença de um emissor sonoro e visual impactante. Também o som reverbera com alta intensidade, especialmente os sons graves, ocasionando a sensação corporal da reverberação sonora.

Por outro lado, houve uma complementação visual realizada pelo grupo Orquestra de Laptops da UnB, por meio da projeção da imagem das palavras-chave acima mencionadas, em imagens/sons superpostos, ampliando o caráter de fluxo e compartilhamento, hibridização e co-elaboração performativas.

Paisagens Sonoras

GOIÂNIA | SONS BALDIOS DE UM PEQUENO DIA

Laurita Salles (UFRN/Media Lab UFG), Cleomar Rocha (Media Lab/UFG-PPGACV/UFG), Leda Guimarães (PPGACV/UFG), Wilder Fioramonte, (Media Lab/UFG)  e equipes

Palavras-chave: Evento sonoro, corpo, cidade, escuta ativa, paisagem sonora


BRASÍLIA | PECULIARIDADES E SEMELHANÇAS SONORAS: MOVIMENTOS, RITMOS, ATAQUES, PAUSAS E DECLÍNIOS. ENTRE SONS MAQUÍNICOS E SONS ORGÂNICOS.

Suzete Venturelli, Antenor Ferreira e equipe (UnB)

Palavras-chave: Sons maquínicos, sons orgânicos, gestos, movimentos, funções vitais, Campus Darcy Ribeiro, UnB


SÃO PAULO | INVISIBILIDADES NA CIDADE GLOBAL

Lilian Amaral (Media Lab UFG), Ingrid Ambrogi (UPM) e equipe

Palavras-chave: Cidade invisível, CorpoCidade, deslocamento, memória, apagamento, reexistência, lugar de todxs


URUGUAY | HOLOS/HUELLA
Daniel Argente, Marcos Umpièrrez, Marcos Giménez Fernando Acosta, Pablo Sedraschi, Mariana Perez, Juan Goyret, Lucía Antúnez, Andrés Castro, Elena Pica. Área de los Lenguajes Computarizados del Istituto Escuela Nacional de Bellas Artes de Uruguay.
Palabras-clave: huella, acción, vivencia, cultura, territorio, redes, conexiones, patrimonio.

COLOMBIA | PATRIMONIABLE SONORO EN BORDE URBANO

Liliana Fracasso (UAN); Francisco Cabanzo (UEB); Jorge Díaz Matajira (UAN).
Palabras-clave: patrimoniable, borde urbano, paisaje sonoro, evocaciones, memoria colectiva, lavaderos comunitarios, El Paraíso.

ESPANHA | LAVADEIRO/SOM/MASCLETA

Bia Santos & Emilio Martínez. Valência (UPV)
Palavras Chave: ritmo, tradição, cultura popular, estímulo corporal, natureza

LOS SONIDOS DE CHINA
Josep Cerdá (UB / Espanha – China)
Palabras-clave: heterotopias, lugares intersticialies, hibridaciónes, mestizajes, flujos visibles e invisibles

HOLOSCI(U)DAD(E) Ecossistemas Transversais e Conectividade em Contextos “Glocais” Lilian Amaral – MediaLab UFG – BR Laurita Salles – UFRN – BR