25 marzo, 2019

Publicações

Lilian Amaral; Laurita Salles; Cleomar Rocha; Bia Santos / Emilio Martinez; Josep Cerdá
Resumo
HOLOSC(U)DAD(E), plataforma de co-pesquisa internacional ibero-americana de arte tecnológica. Atua no campo das narrativas artísticas contemporâneas a partir de emergências culturais urbanas analisadas por meio de experiências performativas, interativas e multissensoriais. Ao apropriar-se de sons e imagens oriundos dos territórios onde estão localizados os centros de pesquisa, a plataforma adquire uma dimensão glocal (SANTOS, 2006) – polifônica, multifacetada, em que uma nova ordem mundial altera as formas de apreensão e representação de identidades e culturas em processos de mutação, considera o lugar como espaço praticado, carregado de memória, e configura, assim, um lugar utópico e convergente. Refere-se à passagem do modelo de «posse e guarda» para o de «acesso e compartilhamento», que caracteriza a contemporaneidade.
Palavras-chave: arte computacional, holosci(u)dad(e), organismo vivo, redes co-elaborativas, conectividade
 

HOLOSCI(U)DAD(E) Ecossistemas Transversais e Conectividade em Contextos “Glocais” Lilian Amaral – MediaLab UFG – BR Laurita Salles – UFRN – BR

Resumo:

A presente reflexão resulta de um processo de investigação e criação poética que emerge de um fazer coautoral compartilhado em rede. Opera a partir de inspirações cartográficas em diálogo com as concepções deleuzeanas de devir e multiplicidade, articuladas à abordagens de autopoiese propostas por Maturana e Varela (1994). HolosCi(u) dad(e), derivação da Residência Artística Ecossistemas Transversais e conectividade – Holos, se pensa e constitui como um “organismo vivo”, distribuído e em permanente co-elaboração. Concebido como uma plataforma de arte com a finalidade de explorar as implicações estéticas e comunicacionais emergentes na realização de ações e práticas artísticas, que por meio de experiências performativas, interativas, transdisciplinares, geopoéticas e pedagógicas, articulam o diferente e criam, a partir dessas diferenças, uma produção em constante mutação. O uso de estruturas telemáticas associadas à criação de conexões preparadas para receber/processar/enviar informação em um constante devir, tanto temporal como material/imaterial, define, a priori, a dinâmica da presente obra processual de caráter co-elaborativo, coautoral e de copesquisa, em contexto iberoamericano contemporâneo.

Palavras-chave:  ecossistema, conectividade, prática artística, multisensorialidade, cidade, interação, multiplicidade.

Publicación del Observatorio Iberoamericano de Arte Digital y Electrónico

http://observatorio.enba.edu.uy/index.php/lista/item/1